Em plena forma

17/agosto/2017 - 9:48 am

Publicado por

Paulo Leme tem 46 anos e é advogado, graduado pela USP. Dependente químico em abstinência há mais de 20 anos, escreveu, junto com seu pai, o livro “A Doença do Alcoolismo” e é fundador do Movimento Vale a Pena, ONG que tem por objetivo divulgar informações a respeito da dependência química.

Dia sim, dia também, não há jornal que não noticie as viagens do nosso querido Doria pelo Brasil afora. Traindo, sem nenhum pudor, seu pai espiritual, o não menos querido Governador Geraldo, o prefeito acelera fundo na campanha escancarada para virar presidente da República.

Essa campanha, no entanto, é velha – e começou, precisamente, no dia 1º de janeiro deste ano.

Num festim de dar inveja aos momentos mais alucinantes de Dias Gomes e Glauber Rocha, Doria inaugurou seu mandato com uma dança maluca, enquanto, dando uns gritos esquisitos, simulava varrer uma rua, fantasiado de gari. Não contente em se vestir a caráter, exigiu que todos os seus secretários entrassem na viagem, obrigando-os a imitar o chefe, tanto na fantasia quanto no manejo da vassoura.

Com todo o respeito a quem entrou na balada, fosse eu secretário e tivesse mais de 25 anos de idade, certamente teria pedido demissão. Há certas doses de ridículo que o bom senso e a autocrítica recomendam evitar.

Tivesse, porém, menos de 25 anos, iria, sim senhor, participar da festa – desde que, é claro, pudesse tomar um ácido antes, para não ficar deslocado no ambiente.

Seja como for, o fato foi que, a partir dali, foi dado início a uma frenética campanha de autopromoção, em que tudo e todos valiam para criar um factoide típico de post de Facebook. E não faltou gente para engrossar aquele cordão que, como diz a velha marchinha, cada vez aumenta mais – sem falar das desinteressadas empresas amigas, sempre dispostas a doar trecos para justificar a propaganda de quem, a exemplo do Pente Flamengo, quer fazer a cabeça do povo.

Ou seja: não houve um único dia daqueles consagrados a Nosso Senhor que nosso prefeito não tenha feito campanha presidencial explícita. É natural, portanto, que o homem agora se dedique a desbravar o Brasil. Ele está em plena forma.

***

E por falar em coisas de campanha, uma notinha pequena, publicada na Folha de S. Paulo*, me chamou muito a atenção.

A licitação para manutenção dos semáforos da Capital está enroscada no Judiciário.

Os concorrentes derrotados dizem que foram induzidos a erro pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), donde terem sido inabilitados a participar da licitação.

Advinhe, agora, quem ganhou a parada? Empresas que fizeram doações sem nenhum interesse.

Ainda tenho faro para algumas coisas. Talvez também esteja em forma.

 

 

* Folha de S. Paulo, 17.08.17, “Licitação de semáforos na capital tem suspeita de irregularidades”.

Notícias