Precisa demitir mais um

23/agosto/2017 - 10:33 pm

Publicado por

Paulo Leme tem 46 anos e é advogado, graduado pela USP. Dependente químico em abstinência há mais de 20 anos, escreveu, junto com seu pai, o livro “A Doença do Alcoolismo” e é fundador do Movimento Vale a Pena, ONG que tem por objetivo divulgar informações a respeito da dependência química.

 

Tido por muitos como a grande novidade da política desses tristes trópicos, João Doria será candidato à Presidência. A única dúvida fica por conta do partido – se o PSDB de seu amigo Alberto Goldman, se o Democratas de Fernando Holiday, se o PMDB do Presidente Michel ou se algum outro partido que quer ter um nome modernoso, do tipo Phodemos.

É por isso – e, é claro, por eu ter participado das últimas eleições municipais sob a perspectiva de um candidato (e não de um eleitor) – que tenho, desde o início, acompanhado com atenção essas autopropagandas infindáveis que o sujeito teima em chamar de gestão. Pela cartilha do Doria, a Cracolândia acabou faz 3 meses, botar uma fantasia de gari e sair sambando por aí é sinônimo de trabalho sério e receber doações desinteressadas de empresas para fazer mais promoção de si mesmo é política pública linda demais.

Outro personagem que, agora, me chama a atenção é Gilberto Natalini. Não irei emitir juízo de valor sobre seu trabalho, mas, a despeito de qualquer coisa, um fato é preciso reconhecer: o homem tem peito.

Natalini saiu da Secretaria do Verde e Meio Ambiente. E saiu atirando.

Pressão de incorporadoras e construtoras interessadas na emissão de alvarás, esquemas de corrupção, tratamentos privilegiados, ameaças a funcionários, enfim, tudo aquilo que sabemos ser o lado mais porco da administração pública. Reportagem da CBN com Natalini noticia que, dentre as entidades que, por assim dizer, não estariam apreciando o estilo um pouco mais digno de se trabalhar, estaria uma tal de Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias.

Pois é.

Doria, o casto, inventou em junho uma tal de Secretaria da Doação (ou coisa parecida), destinada a organizar os recebimentos das não menos castas companhias que nunca estarão interessadas em fazer negócios na Prefeitura (ou no Governo Federal). O secretário? Cláudio Carvalho de Lima, até então vice-presidente da Cyrela Brazil Realty (aquela mesma que, via um acordo rapidão, resolveu seu problema no Parque Augusta) e vice-presidente de governança (uau!) daquela mesma Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias.

Ou Natalini é uma mistura de louco desvairado com bandido sanguinário ou alguma coisa está muito, mas muito errada mesmo, no secretariado de Doria.

As denúncias são pra lá de sérias – e parece-me óbvio que, no mínimo, há um conflito de interesses no primeiro escalão da Prefeitura.

Doria, saia um pouco do picadeiro e ajude a política de verdade. Demita rapidamente o secretário da tal associação e acabe com essa secretaria ridícula.

 

***

Veja em http://m.cbn.globoradio.globo.com/media/audio/114109/ex-secretario-de-doria-denunciou-esquema-de-corrup.htm?utm_source=facebook

Notícias